É meu!

É meu!
Pare com o roubo de conteúdo!

30.1.07

O Palácio Potala (A Morada Sagrada de Avalokitesvara) é a jóia do Tibete e um dos prodígios arquitectónicos da Terra. Foi erguido em 631 d.C., a 3700 metros acima do nível do mar, no "Tecto do Mundo". Ocupa uma área de 410 000 metros quadrados, dos quais 130 000 metros quadrados são superfície edificada.
Compõe-se de treze andares (117 metros de altura) construídos com cobre fundido e paredes de placas de granito cuja espessura tem pelo menos cinco metros. Fundem-se nele dois palácios: o palácio branco e o palácio vermelho.
Foi o centro do governo desde o tempo do quinto Dalai-lama. No entanto, o governo chinês transformou-o em museu, como que para lhe sugar o sangue. Alberga inúmeros tesouros, como stupas de Dalai-lamas incrustadas de pedras preciosas ou uma cópia dos 108 volumes do Kangyur (escrituras lamaístas) com letras desenhadas com ouro puro liquefeito.
Alcandora-se na Marpori, a Montanha Vermelha, a base confundindo-se com ela e os telhados dourados faiscando por entre as nuvens. Uma longa escadaria ziguezagueia pela parede fronteiriça acima, dando acesso ao seu interior. São centenas de quartos e labirínticos corredores, todos decorados com um luxo estarrecedor. Transbordam de sedas, esculturas (as do Buda Sakyamuni, de Padmasambhava e de Tzong Khappa contêm impressionantes quantidades de ouro puro), frescos, thangka, altares, instrumentos litúrgicos. Em cada altar, em cada regaço de estátua, está o retrato do Dalai-lama exilado. Tudo isto mergulhado na semi-obscuridade, numa atmosfera sombria de fumo, proveniente das lamparinas de manteiga de iaque. Sentimo-nos verdadeiramente no país do Bardo Todol, por entre aquele que é o povo mais íntimo do Além e do Invisível.


Palácio Potala.

Palácio Potala.

Palácio Potala.
Palácio Potala.


Palácio Potala.

Palácio Potala.

Palácio Potala.

Bandeiras de oração pendendo numa parede do Palácio Potala.

Janelas. Palácio Potala.

Palácio Potala.

As montanhas de Lhasa vistas do Palácio Potala.
Palácio Potala.


Monge no Palácio Potala.

Palácio Potala.

A Roda do Dharma. Palácio Potala.

Portas. Palácio Potala.

Palácio Potala.

Palácio Potala.

Palácio Potala.

Militar do Exército Chinês no Palácio Potala.

Gyamtchen. Palácio Potala.

Palácio Potala.

Palácio Potala.

Velho monge e dois noviços (à esquerda) no Palácio Potala.

Palácio Potala.

Peregrinos no Palácio Potala.

Janelas. Palácio Potala.

Mãe e filho no Palácio Potala.

Porta. Palácio Potala.

Palácio Potala.

Bandeiras de oração. Palácio Potala.
Cabelos de noviços e bandeiras de oração. Palácio Potala.

Norbulinka, o Parque da Floresta Preciosa, era o Palácio de Verão do Dalai Lama. Na verdade, trata-se de um complexo de pequenos palácios, rodeados de um jardim murado. Consideravelmente mais recente do que o Potala e bastante menor, é elegante mas não colossal.


Norbulinka. A Roda do Dharma.

Norbulinka.

Norbulinka.

Norbulinka.

Norbulinka.

29.1.07


Norbulinka.

Norbulinka.

Porta. Norbulinka.

Norbulinka. Garuda, animal mítico que simboliza a sabedoria e a libertação de esperanças e receios.

Norbulinka. Cavalo do Vento (Lung-ta). Criatura mítica e prévia ao budismo que combina a velocidade do vento com a força do cavalo para carregar preces da Terra para o Céu.

Fresco: Mahakala segurando mandala.


Duas mulheres e um homem tibetanos de visita ao Norbulinka.


Uma das mulheres. Norbulinka.

Jardins do Norbulinka: bandeiras de oração penduradas nos ramos.

Nos jardins do Norbulinka: mulher cosendo a veste de um monge.

Lhasa: aeroporto.
Lhasa: aeroporto.


Lhasa: aeroporto.